domingo, 12 de junho de 2011

Cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é


... nas cores que passam à porta ou no chão da rua onde mora a vida ... sem demora ...

6 comentários:

Lacorrilha disse...

Fotografia lindíssima.

Rute disse...

Muito significativa...é sem dúvida um pedacinho de todos nós, portugueses

1 beijinho:

Remus disse...

E qual é a dor de ser-se Clarice?
:-)

Aquela manta por cima da cabeça, até faz lembrar aqueles enormes chapéus que por vezes vemos nos filmes sobre o império da antiga China. :-)

Um instantâneo de um instante só.

the dear Zé disse...

e assim ficou a senhora, congeladinha em vermelho, uma cor para a eternidade...

Nuno disse...

Estava eu a pensar que a senhora estava numa pose contemplativa até que ampliei a foto e... que grande desilusão!!! :-))

Clarice disse...

Nuno... as desilusões estão onde menos esperamos!