terça-feira, 8 de junho de 2010

Aguaceiro

Ping... ping...
cada vez que pestanejo
ping... ping...
cada vez que vejo
.
que no céu há pingos assim
que nos fazem ouvir a chuva
e senti-la como brisa de cetim
.
e é um ping... ping... que ao molhar o meu braço
me acorda
quando me toca
me molha
me agita
me ouve
me embala
e me diz
baixinho assim...
.
segue...

segue...

segue...
.
sem quereres ver nunca o fim...


7 comentários:

NUNO disse...

"Nunca querer ver o fim" pode ser estar a fugir de algo... ou simplesmente não querer que algo bom termine...
Sentir a chuva como brisa de cetim é lindo... e a foto também!!!

Remus disse...

O raio dos aguaceiros nunca mais nos deixam em paz. ;-)
Gostei deste teu ponto de vista da chuva.

Caçador disse...

Venho aqui todos os dias à procura das palavras certas para um comentário assim tipo inteligente e espirituoso e tudo mas não pinga nada, ideias, palavras de jeito. Uma secura. Ele há dias ou fases ou lá o que é.
Por isso deixo-te um beijo.
E mais outro.

Jorge Monteiro disse...

Gosto muito do teu olhar...
Parabéns pelo excelente trabalho que aqui se pode ver.
Continua!

Guida Palhota disse...

Aguaceiro tântrico. Ou será masoquista?

Clarice disse...

O que tu preferires, Guida.

Guida Palhota disse...

Portas assim as coisas, seja ele tântrico, Clarice!