domingo, 20 de junho de 2010

Sempre


...é agora

este som

e outro

a bater na minha porta

é agora

um som maior

de uma corda

que acorda outro som

como se fosse agora


é agora que tudo começa

quando dizemos agora

e é também assim que tudo termina

dedilhando a palavra agora

como se a palavra não fosse minha


*a lindíssima música de Anouar Brahem

3 comentários:

Guida Palhota disse...

Clarice:
'Agora' é uma coisa; 'sempre' é outra; e as pessoas não duram para sempre!...

beijo

Caçador disse...

e não é, claro. não somos donos das palavras, apenas as tomamos de empréstimo. e do nosso jeito de as seduzir - nunca domar - é que podemos, por vezes, usa-las com um bocadinho mais de graça... (falo por mim, para ti é mais fácil, condão ou graça...)

beijos

NUNO disse...

Foi com alegria que descobri que os sons de Anouar Brahem te bateram á porta, agora. É um velho amigo meu, que já há muito se instalou lá em casa...